Início Nota Revista Época analisa – “no gogó” – o Balanço Patrimonial do Vasco

Revista Época analisa – “no gogó” – o Balanço Patrimonial do Vasco

27

 

 

Matéria da revista Época, assinada por Rodrigo Capelo, tentou analisar as contas do Vasco referentes ao ano de 2016. A tentativa seria louvável caso houvesse imparcialidade e frieza expressas nas linhas da reportagem. Afinal, este é mais um efeito da transparência: oferecer acesso, até para leigos, a um retrato contábil do clube, ainda que apenas a vivência diária possa calibrar opiniões isentas.

O problema começa aí: a isenção passou longe da matéria pelo uso de diversas expressões chulas, escrita agressiva e por um detalhe curioso: logo no início, o autor informa que os números não são confiáveis, mas que iria se basear neles. Estranho: se é tudo mentira, para quê o gasto de tempo e espaço tentando dissecar algo em que não se pode crer? Pois se os números são mentirosos, a reportagem parte de pressuposto que ela mesma é irreal.

Apesar dos pesares, ponto a ponto, vale à pena comentar o texto, a fim de que não prevaleçam enganos intencionais e não intencionais cometidos. Também é bom ressaltar que, sim, é verdade, a situação financeira do Vasco não é simples. E nunca se afirmou isso, muito pelo contrário.

1) “Tudo o que você lerá aqui foi extraído do balanço financeiro vascaíno. Mas há razões para desconfiar do documento.”

Comentário: o autor alega que a auditoria independente não conseguiu verificar se havia dinheiro em caixa e por isso coloca todo o documento em dúvida. A referida conta registra um saldo de cerca de 230 mil reais em 2016. Como se pode constatar, não parece ser este valor capaz de “camuflar” um Balanço Patrimonial com o porte daquele pretensamente analisado. Insiste-se: se o documento não é confiável, para que o risco de analisá-lo?

2) O autor coloca um “enorme asterisco” no que ele cita como o maior faturamento da História do Vasco, 213 milhões. O “enorme asterisco” é explicado: o Vasco recebeu 60 milhões em luvas da renovação do contrato com a TV.

Comentário: conforme já foi destacado aqui, o Vasco lançou em seu balanço referente ao contrato com a televisão apenas os valores que entraram no ano de 2016. Ao contrário de vários de seus pares, que registraram o valor global do contrato, inflando suas receitas.

3) “O Vasco teve em 2016 as piores rendas de sua história em bilheteria, patrocínios e transferência de atletas”.

Comentário: o autor não se dá ao trabalho de lembrar que 2016 foi um ano em que o Vasco disputou a série B. O reflexo foi direto: por exemplo, a CEF reduziu o patrocínio master da camisa a 50% do valor de 2015. A torcida frequentou menos os estádios, pois os jogos tiveram menor apelo. A negociação de atletas é prejudicada porque as disputas não ocorrem na principal vitrine.

4) Se no item anterior o autor esqueceu de lembrar que o Vasco disputou um campeonato menos atrativo, neste ele se lembrou. “Apesar de jogar a série B, campeonato no qual a competitividade é menor, os gastos aumentaram para quase 200 milhões”.

Comentário: o autor revela parte de suas intenções neste item. Toma como suporte o futebol e recorre às despesas globais do clube. O gasto apenas com o futebol foi de cerca de 120 milhões. A despesa específica com pessoal no futebol foi de 67 milhões. Tal como o autor apresentou intencionalmente, fica a impressão de que o Vasco gastou 200 milhões (190 milhões, arredondados convenientemente para 200 milhões) para jogar a série B. Como o Vasco não é somente um clube de futebol, os demais 70 milhões se justificam de diversas formas, inclusive manutenção de suas sedes e investimento em esportes amadores. 

5) “Eurico só terminou o ano no azul porque recebeu as luvas pelo contrato de 2019 a 2024. Uma receita que não se repetirá em 2017, nem tão logo”.

Comentário: conforme já destacado em comentário anterior, o Vasco lançou em seu balanço de 2016 apenas os valores da TV que efetivamente entraram no exercício, ao contrário de outros clubes. Além disso, estima-se que outras fontes de receita sofram modificações ao longo de 2017. Para mencionar duas das citadas pelo analista: transferências de atletas (Luan, por enquanto) e patrocínios (melhor contrato com a Caixa, por enquanto). Portanto, vaticinar que a partir de 2017 não há sinal de que o cenário possa se modificar é um erro básico, mas (de novo)  intencional.

6) “O resultado das trágicas gestões de Roberto Dinamite e do próprio Eurico é um endividamento maior do que o Vasco”.

Comentário: mais uma vez, convenientemente, o autor embaralha as cartas. Em junho de 2008, quando a primeira gestão de Eurico terminou, o Vasco possuía uma dívida de 190 milhões. A gestão de Dinamite, ao assumir, corrigiu na caneta a dívida para cerca de 350 milhões, acrescentando provisões de contingência e reduzindo o valor do imobilizado. Quando a gestão de Dinamite terminou, ao final de 2014, o Vasco devia quase o dobro, ou seja, cerca de 660 milhões.

A dívida atual se encontra no patamar de 517 milhões. Dois anos após assumir o clube naquela situação, portanto, a dívida diminuiu 143 milhões.

O autor alega que 113 milhões foram abatidos em função da adesão do clube ao PROFUT. A pergunta é: e daí? Esta ressalva só vale para o Vasco? Quem foi que regularizou e organizou o clube para poder aderir ao programa? Quem participou de reuniões? Quem apresentou ideias? Quem assinou? Portanto, também os 113 milhões são fruto das ações desta administração. Além dos demais 40 milhões de redução, ao longo de, repetindo, apenas 2 anos.

Em continha simples, se a administração Dinamite jamais tivesse passado pelo Vasco, a não ser para corrigir na caneta o Balanço parcial de 2008 (elevada a dívida para aproximadamente 350 milhões), o Vasco teria hoje uma dívida de 207 milhões. Provavelmente a menor do Brasil entre os 12 clubes de primeira linha.

7) “Eventos ou condições futuras podem levar o Vasco a não mais se manter em continuidade operacional”.

Comentário: Esta frase não é do autor. Esta frase é escrita no parecer dos auditores independentes. A auditoria está correta. Caso o Vasco passe por nova aventura como foram os 6 anos de administração Dinamite, pode se tornar inviável. Porém, sendo administrado com a responsabilidade atual, tudo indica que, em que pese ainda uma longa estrada, vá se recuperar.

Porém, o principal desta frase é que ela aparece literalmente da mesma forma no parecer da auditoria independente que analisou as contas de 2016 daquela administração que a imprensa especializada destaca como a melhor do mundo: a do Flamengo.

Não se sabe, assim, porque ao surgir no parecer da auditoria externa do Vasco ela mereça destaque negativo e ao surgir no parecer da auditoria externa do Flamengo não faça nem cócegas.

8) O autor pergunta “Por que o Vasco não fecha as portas?”

Comentário: Primeiro, porque o Vasco, como associação civil, não  está sujeito à lei de recuperação e falências, conforme desejo implícito do autor ao levantar tal possibilidade.

Mas principalmente  porque antes do Vasco fechar as portas, muitos outros deveriam fechar. Não só clubes de futebol. O que se vê em relação ao empresariado nacional dia sim e outro também mostra que muitos deveriam fechar as portas. Há empresas que roubaram o país, há empresas que viveram de fraude, há empresas que participaram de esquemas inigualáveis. Durante um tempo, vide episódio Maracanã, muitas delas foram incensadas pela própria imprensa especializada e seus analistas baforados pela superioridade. Roubaram, corromperam e não fecham as portas porque seus problemas são resolvidos, dentre outras artimanhas, por acordos de leniência.

Em um cenário de vigarice explícita Brasil afora, perguntar porque o Vasco não fecha as portas, clube que vem honrando suas contas, mantendo salários em dia, pagando acordos com extrema dificuldade e esforço, soa como um cuspe na cara dos vascaínos.

Desde dezembro de 2014, sempre que há oportunidade, a diretoria atual informa aos torcedores e sócios do clube a respeito das dificuldades financeiras encontradas. Não há mistério, não há mentira, não há camuflagem, não há ninguém sendo enganado. O Balanço Patrimonial de 2016 exposto pelo clube dá a dimensão das dificuldades que existem.

Porém, desconstruir o esforço com fins que só podem ser políticos vai além da irresponsabilidade. É desonesto. E sempre que houver desonestidade nestes moldes, a desconstrução leviana será desconstruída com verdade.

CASACA!

Relacionados

9

27 comentários

  1. O que de falar de uma revistinha das organizações groubo, ELES apoiaram a ditadura naquela época para se dá bem como sempre, e só agem em causa própria, não podem ser contrariados, se não arrumam um monte de puxa sacos para contar estórias que um bando de boçais e paus mandados acreditam, essa empresa é o MAIOR CANCÊR DO NOSSO PAÍS, EURICO MIRANDA NELES ONTEM, HOJE E SEMPRE!

  2. Excelente resposta. Aguardava ansiosamente, pois desde que esta materia apareceu, e por coincidencia logo depois de uma derrota, os vascainos verdadeiros querem se manifestar. O que mais incomoda, foram 6 anos e meio de uma administracao vergonhosa, e nenhum desses detratores falaram nada sobre o que fizeram. Caso parecido com a expulsao do Luis Fabiano, onde aquele safado simulou uma agressao e todos da imprensa brasileira, concordaram com aquela pantomima, mas agora que o campeonato acabou, e tema do que a CBF nao vai tolerar dos arbitros. Piada.
    Vamos manter os pes no chao e recuperar o clube.
    Quanto ao time, Paulao e Breno, e de chorar. Alem de zagueiros que nao sao esses dois, e necessario um ou dois atacantes de velocidade e forca, para ajudar ao Nene e Luis Fabiano que ja nao tem velocidade e a forca de antes.
    SV

  3. tá foda falar de VASCO com os próprios VASCAINOS, o mímimi de fora pra dentro tá arrebentando com a imagem do cluB e sua administração. precisamos dar um basta já.
    #sempre juntos

  4. Por aí, já dar para vê como são e estão ávidos a assumir o Vasco, porém como a própria auditoria destaca, mais uma administração desastrosa como a do Dinamite vai inviabilizar o clube de uma vez por todas.
    Infelizmente o Brant e o Edmundo estão jogando sujo, isso é desespero nem se juntar todas as oposições nunca mais voltarão a administrar o Vasco.
    Saudações ao Vascaínos de verdades.

    E que venha logo o Anderson Martins.

  5. Amigos do casaca, tenho absoluta confiança de que o presidente Eurico é o único capacitado de tirar as finanças do Nosso Gigante da situação calamitosa que se encontra. Mas deixo meu depoimento como estímulo aos vascainos: Sou sócio-gigante , no plano mais caro, renovei recentemente. Não fui ainda a nenhum jogo, pois embora trabalhe no RJ, minha residencia fica em JUIZ DE FORA-MG. Faço questão de pagar para ajudar o Vasco.
    Se mais seguissem meu exemplo teríamos uma receita extra para ajudar no Futebol. Deixo um abraço aos casaquistas que tão bem defendem nosso amado clube. Mas tenho uma dúvida : na materia do tal Capelo, foi dito que o Vasco teria que pagar somente este ano 40% de sua dívida, cerca de R$ 200.000.000,00, que seriam dividas de curto prazo. Isto é verdade ? se for como conseguiremos pagar e manter tudo em dia ? abraços, Marcio.

  6. É isso aí.

    Eu conversava com um grande benemérito do Vasco no início do ano e comentávamos sobre os ataques que o clube sofreria da oposição amarela até as eleições. Seria um golpe baixo atrás do outro.

    Tentaram destruir durante 6 anos e meio, quase o fizeram. Agora querem o poder não importando que o clube seja agredido de todas as maneiras. Mas a história do Vasco é repleta de vitórias sobre os inimigos.

    Vasco Gigante.

  7. Essa matéria em que foi publicado, nessa Revista que é uma dos Tentáculos da The Globe e esse cidadão que se AUTO-INTITULA ¨ECONO MISTA¨ e por baixo da sua LUPA PARCIAL, TENDENCIOSO e com o CLUBISMO do seu ¨QUERIDINHO¨ ou o VULGO ROUBADO é MAIS GOSTOSO e com essa ÓTICA DISTORCIDA, com RECALQUE não dá para levar a SÉRIO esse sujeito !

    E ele com sua cara debochado, de MULAMBO RECALCADO ENRUSTECIDO nem cara de ECONOMISTA com a FORMAÇÃO ACADEMICA possui e muito menos tem cara de um SUJEITO que é um GENIO e tem o DOMÍNIO dos NÚMEROS e tanto a MATEMÁTICA e a ARTIMÉTICA SÃO CIENCIA EXATA, não existe chutometria e os NÚMEROS REAIS, FRIOS NÃO MENTEM e MUITO MENOS pode-se MAQUIAR os números bem diferente das CANETADAS POLÍTICA, e os NÚMEROS APRESENTADOS no NOSSO BALANÇO ADMINISTRATIVO SÃO REAIS e PUBLICADOS de FORMA BEM REALISTA a sua SAÚDE FINANCEIRA.

    AQUI HÁ CREDIBILIDADE, RESPONSABILIDADE, CONSCIENCIA, RESPEITO, PÉS no CHÃO e ACIMA de TUDO MUITO TRABALHO COM LÁPIS ATRÁS da ORELHA PELA TURMA BOA da FUZARCA!

  8. Essa imprensa carioca e porque não dizer brasileira é uma vergonha para o jornalismo nacional e mundial. Gente sem escrúpulos e sem qualquer isenção vomitam matérias obscuras para não dizer pagas com objetivos escusos e reprováveis. Uma lástima termos jornalistas assim em nosso país. Mas para desespero deles, por mais que peidem só conseguirão sujar as próprias calças.

  9. Urge a regulação econômica dos meios de comunicação vedando a propriedade cruzada onde o chorume de um veículo escorre pra outro do mesmo grupo infelicitando a nação tal qual metástase.

  10. Se o Brasil está mergulhado nesse mar de merda em todos os sentidos vamos tirar o chapéu e agradecer a essa imprensa de bosta que nós temos. Essa sim, deveria fechar as portas.

  11. Acho que a administração deveria exigir direito de resposta a essa matéria e inclusive reparação por perdas e danos.
    Esse tipo de mentira prejudica negociação com patrocinadores e empresários, afugenta atletas e enfraquece o clube nas negociações.
    Vão berrar, vão dizer que Eurico quer censurar a imprensa, mas quer nos defendamos ou não, sempre seremos atacados, que então eles paguem na justiça pelos prejuízos causados.

  12. Graças ao Vasco e alguns clubes populares, de enorme torcida, as emissoras de TV não naufragaram por completo.

    Tudo deu prejuízo com exceção das transmissões de futebol de um modo geral onde vemos os jogos do Vasco com excepcional audiências.

    Vasco é Gigante. Vasco é popular. Vasco é bicampeão mundial (53/57). Vasco é hexacampeão invicto.

    Confiamos no Vasco, no CASACA e no sr. Eurico Miranda presidente do nosso clube na sua luta contra os opositores que querem derrubar o clube de qualquer maneira.

  13. Concordo que a matéria da revista Época está fazendo política ridícula ao passar informações de forma parcial e da maneira que a convém. O Vasco com certeza vem reduzindo sua dívida e honrando seus compromissos, como qualquer instituição séria e que deseja ter credibilidade deve fazer.
    Entendo que a dificuldade em montar um time melhor é causada por essas dívidas geradas ao longo da administração anterior. No curto prazo, a contratação de reforços pontuais e a maior utilização da base seriam uma boa resposta para termos um ano digno, com metas tangíveis ao elenco que temos. Ao longo de todo o ano passado e começo desse ano o clube teve a oportunidade de utilizar os jovens, tanto na série B quanto no carioca, e não o fez. Acredito que tenha sido um erro do Jorginho (muito fraco como treinador, na minha opinião) e do Cristovão, mas que a diretoria deveria tê-lo cobrado para maior utilização dos garotos, mas esse não é meu ponto aqui.
    Acredito que a situação econômica do país não permita patrocínios maiores, com praticamente todos os clubes dependendo da CEF. No entanto, no longo prazo, acho que a diretoria deveria buscar ampliar as receitas com mais/novos patrocínio, parcerias e PRINCIPALMENTE com a reforma de São Januário, o que ajudaria a sanar as dividas e a montar times cada vez melhores. Hoje o Vasco é o segundo clube que mais depende das receitas televisivas no Brasil (77%, à frente somente do Vitória). A modernização de nossa casa seria algo sem comparação para alavancar as receitas e nos tornar menos dependentes da televisão, como foi para Palmeiras, que mesmo tendo torcida menor, tem (disparado) a maior receita do país com bilheteria. Nesse ponto, o Vasco está atrás de clubes como Santos, Sport, Internacional, Fluminense, Coritiba, Bahia, Atlético Paranaense e até o Botafogo. Logicamente que a Série B afetou esses números, mas já passou da hora de tornar SJ mais lucrativo e atrativo do que é hoje. Não estou falando aqui que deveríamos fazer a reforma nos mesmos moldes do Palmeiras, pois não tenho conhecimento suficiente para tal. Apenas tenho a certeza de que ao procurar uma forma que seja benéfica para o clube e que atenda ao desejo da torcida, poderíamos encurtar o tempo de recuperação das finanças que precisamos e voltaríamos mais rápido para o primeiro escalão do futebol brasileiro. Além disso, a modernização de SJ tornaria o ótimo plano de sócio-torcedor ainda mais atrativo.

  14. Ja nao tenho mais saco pra dar respostas para essas coisas , mas digo que tudo que foi dado de resposta pelo casaca eu assino embaixo…
    ainda vem alguns vascaínos fajutos pra fazerem comentários que diminuem cada vez mais a nossa equipe… fico com muita raiva daquele site do net vasco, só tem pessoas pra falar mau do Vasco, isso é um absurdo e uma burrice tamanha, pois esta denegrindo a imagem do time que o cara torce…
    agora a midia safada ta dizendo que os salarios dos funcionarios estao atrasados, eles sempre procurando queimar a imagem do vasco… esse tenho que tomar muito calmante pra ter um enfarto…

  15. Amigos,
    Acho que essas “Má”térias claramente direcionadas para causar danos à imagem do Clube devem ser tratadas no campo Jurídico.

    É clara a intenção, principalmente num ano eleitoral, sempre deste mesmo grupo de comunicação, para direcionar seus interesses e futuros interlocutores dentro do Clube.
    Talvez com o objetivo de faturar mais, pagando menos.

    Diante de um quadro de dificuldades generalizada, porque tamanha exposição negativa SÓ do Vasco?
    Porque sempre depois de mais uma vergonha Mulamba?
    Porque não comparar com os demais Clubes, como o seu queridinho que pode ter uma receita maior, porém uma dívida bilionária?

    Exigir reparações, não significa tirar liberdade de expressão destes meios, mas sim, questionar as intenções destes meios quando expõem desta forma um Clube com a história e a gigantesca contribuição social que possui, e que se esforça todos os dias para superar estas dificuldades, com muito trabalho e dedicação.
    Estou fora do País e daqui li que tinha gente da imprensa perguntando para funcionários do Clube, se estavam com salários em dia! Com que intenções um jornalista faz isso, se não for somente a de querer denegrir nossa imagem?

    Temos que dar-lhes tapas com luvas de pelica todos os dias, sermos diretos sem fazer o jogo deles, pois esperam que fechemos às portas para eles para corroborar aquilo que difamam, uma virada no nosso marketing, das nossas realizações, trazendo ao clube personalidades e especialistas, para conhecer nossa gestão, o nosso esforço e expor para engulam.

    São duas frentes que devem ser trabalhadas
    E parabéns pelo trabalho

    Um forte abraço à todos
    Vamos Vasco!

    Paulo Cesar Guedes

Responder