Início Nota Omissos pecadores

Omissos pecadores

12

 

Manchetes de jornais alusivas a um favorecimento ao Vasco na partida do último domingo contra o Flamengo, em função de um pênalti marcado a favor da equipe cruzmaltina aos 46 minutos do 2º tempo, surgiram aos borbotões.

Lembrando Carmen Miranda, a imprensa:

Vestiu preto e vermelho e saiu por aí.

Em vez de tomar chá com torradas, ela bebeu Parati.

Levava um retrato do Zico no bolso e uma caneta na mão,

E urrava pelas mídias, dizendo “Roubaram o Mengão! Roubaram o Mengão!”

A sofreguidão por frases sensacionalistas e conclusões precipitadas sobre o todo da partida, teve resposta na imprensa do mundo inteiro, que ridicularizou a simulação do árbitro, no lance em que este expulsou Luís Fabiano e mudou o jogo a favor do Flamengo. 

Mas o foco era o pênalti mal marcado a favor do Vasco, aos 46 minutos do segundo tempo. 

Até se meter a falar da religião de Nenê, e de sua fé, fizeram, porque o atleta levantou os braços, após ter imaginado que a bola teria tocado no braço do atleta rubro-negro, como aliás declarou em entrevista logo após a partida. Nenê virou alvo de virtuais inquisidores da mídia, exposto de maneira lamentável por julgadores e não formadores de opinião.

Mas não houve qualquer alusão ao lance CLARÍSSIMO de pênalti a favor do Vasco, ignorado pela arbitragem, após puxão de camisa e posterior carga de Léo Duarte no atleta cruzmaltino Jomar, empurrando-o até que caísse.

Eram 44 minutos do segundo tempo e aí pecaram:

1 – Quem transmitia o jogo e é responsável por mostrar em replays, quantos forem necessários, lances polêmicos da partida e não só quando interessa a polêmica.

2 – O árbitro e o bandeira, em mais um prejuízo contra o Vasco no jogo.

3 – Léo Duarte, que, segundo as normas de boa conduta, não teve o fair play devido para se acusar e afirmar na hora ter havido pênalti a favor do Vasco, cometido por ele. Teria o atleta que admitir ter feito a penalidade máxima, como o fair play do futebol manda, declarando “Puxei sim a camisa do Jomar, fiz carga e o empurrei até que caísse. Bola na marca seu juiz!”?

4 – A imprensa vestida de vermelho e preto, por não ter procurado analisar melhor os lances do jogo, para que suas edições de imagem em programas esportivos fossem de acordo com o ocorrido na partida, afinal o fair play deveria começar por ela, como exemplo.

5 – O funcionário do Flamengo e freguês do Vasco, Rodrigo Caetano, porque falou não ter visto surpresa no enredo, mas deixou de reiterar que no tal enredo comum, o prejuízo com arbitragens neste clássico, normalmente tem o Vasco como vítima e não o contrário, conforme testemunhou no período no qual trabalhou no clube.

6 – O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, que se arvorou em falar na imprensa sobre prejuízos ao seu clube em jogos contra o Vasco, testemunho falso, cínico e risível, afinal comanda um clube, caracterizado pelo contrário em tais confrontos, além de ser o rubro-negro da Gávea marcado por inúmeras ajudas de arbitragens ao longo dos tempos, wright?

O Casaca! vem a público mostrar a verdade novamente. Que seja reverberada por quem não quer pecar ou continuar pecando.

Casaca!

Relacionados

12 comentários

  1. A Flapress SENSACIONALISTA, CORPORATIVISTA que trabalham sempre em flavor do seu ¨Queridinho¨ em todas as resenhas esportivas Carioca eram um rio de lágrimas… ( Um lencinho não dá pra enxugar, o rio de lágrimas que deixou no seu lugar…, e nasce da saudade, que ficou no seu lugar…, que diga o Luiz Airão…!!!!)

    E esse penalti do sobre o Zagueiro JOMAR PUXADO dentro da ÁREA?
    Como era contra o CLUB de REGATAS VASCO da GAMA, tudo certo, vida se segue né Flaprss….!!!!!

    E como o erro foi contra a mulambada, a FFERJ foi EFICAZ, EFICIENTE ao despachar via ÁREA pra SIBÉRIA o Sr. Luís Antonio Silva Santos o vulgo Índio pra SIBÉRIA ( Ironia, ele que sempre tem uma FOLHA CORRIDA de GARFAGEM contra a gente, vai curtir uma SPA forçada na SIBÉRIA com os seus parente LAPÕES e ESQUIMÓS, que são seus parentes INDÍGENAS no DNA GENEOLÓGICO ), e o seu assistente Daniel Espírito Santo que de SANTO não CANONIZADO e nem tem o BATISMO pelo Espírito Santo e que não nasceu nas águas como Jesus explicou isso ao Nicodemos que quem não nasce novamente não é DÍGNO de herdar o Reino dos Céus.)

    E foram mandados pra SIBÉRIA com SPA tudo pago pela Flapress e o verão está se aproximando lá no Hemisfério Norte, vai poder ver agora o Sol da Meia-Noite e no longo Inverno SIBERIANO vai poder ver a AURORA BOREAL, com uma mascote HUSK morando dentro de um IGLU.

    O TEU TEU PASSADO te CONDENA Índio e o passado da Flapress também, sejam com o Sr, José Roberto Wrigth EXPULSANDO 5 JOGADORES DO aTLÉTIMO mINEIRO EM 1981 lá em Goiania na Serra Dourada, o Ladrilheiro no mesmo ano no final do Estadual naquele mesmo ano e papeletas amarelas.

  2. Agora vamos ser mais agressivos. Antes, durante e depois das partidas do Vasco contra o Flamengo vamos gritar e chamar a atenção dos vascaínos para as safadezas que farão com o Vasco.

    Esse penalty não marcado, a omissão do replay não exibido porque era favorável ao Vasco, a expulsão do Fabiano, o teatrinho incrível do juiz, a grita da imprensa marrom, etc. indica que o CASACA e os vascaínos vão gritar o máximo que puder. Chega de quererem bancar os machões e tentar ganhar no grito. Estaremos a postos.

  3. Nos anos 80 não havia isso. A TV era a única mídia relevante. Então, ficávamos dependentes dos replays que interessavam a ela.

    E isso fez com que times sem expressão nacional fossem gerados no ventre da grande TV, vassala da ditadura.

    Bendita internet livre para corrigir essas, digamos, distorções. Parabéns, Casaca, pela pesquisa.

  4. Apenas lembrando, que L.Fabiano fez a falta no meliante burro negrino totalmente sem querer, visto que ele tropeça do chispe do tal meliante… Replay também não visto, é claro.

  5. Que tal pedirmos uma resposta dos meios de comunicação e aos programas esportivos sobre esses erros horrorosos e que influíram no resultado?

    Não é por nada não é só por justiça e comportamento anti-safadeza.

  6. A dupla Azambuja ( Luís Antonio Silva dos Santos mais conhecido por ÍNDIO ) e o seu assistente Linguiça ( Daniel do Espírito Santo) que não mora lá em Vitória no Estado do Espírito Santo…..) se assim o desejarem podem vão poder verem o Sol da Meia-Noite lá na SIBÉRIA ou na LAPONIA em um prolongado SPA tudinho financiado pela Flapress e podem enviarem as IMAGENS da AURORA BOREAL para o pessoal do Flance, O dia, ESPN ou para The Globe e no fundo tocando a música tema do filme O Sol da Meia-Noite do Lionel Ritchie SAY YOU SAY ME…!

    E já que existe uma teoria da origens dos povos Indígenas no Continente Americano em que há mais de cinco mil anos atrás A.C ( Antes de Cristo) os seus ancestrais em busca de alimento, abrigo, atravessaram o Estreito de Bering, e isso é compatível já que os pesquisadores e cientistas comprovaram o DNA dos Povos INDÍGENAS, ESQUÍMOS, LAPÕES, cruzando os dados do tronco familiar com os Mongoloídes ou os orientais ( Japoneses, Chineses, Mongoís, Coreanos, Vietnamitas, Cambojanos, Tailandeses, Indonésios, Filipinos, Casaques e Malaios).

    Peço desculpas por citar assunto fora do tópico mas, não pude resistir a brincadeira e fazer a zoação com os mulambos.

  7. Não ouvi, ou li, até o momento (30/03 as 16:44) nenhuma linha sobre esta penalidade em qualquer dos canais esportivos, inclusive um que é as 12:30 que só fala do Rio. Nenhum deles, nenhum deles, falou sobre este penalty. O Vasco não tem como exigir que os principais canais sobre futebol, em tv aberta ou fechada, sejam obrigados a mostrar esse lance? Tipo, direito de resposta?

  8. Os mágicos e transformadores do circo do reino. São os briosos manipuladores dos videos “tape” dos lances de futebol.
    As jogadas viram outras, cenas desaparecem, o que era um transforma-se em outro, lances desenrolam-se com maior rapidez ou com lentidão, “slow motion” afasta ou aproxima a bola ou o pé do cara que está na jogada. Loucura.

    Esses são os mágicos e transformadores que mandam ou são mandados no circo do futebol Os palhaços? Somos nós.

  9. Nossa imprensa segue os mesmos caminhos dos dirigentes “maiores”, isto é, o “mais popular” é a vítima, nunca culpado. Então porque mostrar penalty contra ele? Só gritar no caso de a penalidade ser a favor dele. Nossa imprensa não é corrupta, mas o dinheiro pode muito.

Responder