Home Notícias

0

 

“O ex-atacante do Sevilla, Luis Fabiano foi expulso durante uma partida do Vasco da Gama contra o Flamengo. Depois de receber um amarelo, ele se aproximou do árbitro para protestar,  o juiz simulou uma queda e terminou expulsando o atacante.”

Link da matéria: http://www.marca.com/futbol/resto-america/2017/03/27/58d8fcda46163f4d108b4596.html


Comentário do Casaca:

Fora do domínio da Flapress, o destaque é outro.

Casaca!

 

 

 

 

5
 
Em jogo muito disputado do início ao fim, o Vasco empatou com o Flamengo, por 2 a 2, no Estádio Mané Garrincha. No início da segunda etapa, os vascaínos, que estavam vencendo por 1 a 0, jogaram com dez jogadores após expulsão de Luis Fabiano. O rubro-negro virou o placar, mas mesmo com um a menos, o Gigante da Colina empatou no fim com gol de Nenê. Em entrevista após a partida, o técnico Milton Mendes elogiou a postura da equipe durante o jogo.
 
– Todos sabem que clássicos são decididos nos detalhes e nossa equipe foi muito valente. Nossos meninos foram machos. Encaramos o jogo. Fiz algumas mudanças, colocando o Thalles e o Manga para mostrar para eles que queríamos buscar o jogo. Fomos felizes. A base da nossa casa chama-se comprometimento em todas as nuances do jogo – analisa.
 
O treinador também destacou o modo de jogo do time durante o clássico. Milton Mendes gostou do que viu, principalmente na marcação. 
 
– Nossa estratégia era fechar os dois homens de lado, Renê e Pará, que vêm na paralela e abrem espaço para os dois jogadores (pontas) que entram. Não gostamos de marcar homem a homem, mas hoje fizemos isso. Nossos extremos tinham a incumbência de marcar os laterais, onde era o ponto forte deles. Conseguimos anular com maestria. Tivemos contra-ataques bons, mas não concretizamos em gol – afirma.
 
O Vasco volta ao trabalho na tarde desta segunda-feira (27/03), em São Januário. A próxima partida da equipe será contra o Boavista, dia 30, às  21h30, na Colina Histórica.
 
Fonte: Site CRVG

Por Matheus Alves

Pela quarta rodada da Taça Rio, Vasco e Flamengo empataram em 2 a 2, no Estádio Mané Garrincha. Yago Pikachu e Nenê marcaram para os vascaínos, e Willian Arão e Berrío descontaram para o rival. Com o resultado, a equipe vascaína está na quarta colocação, com seis pontos, no Grupo C. 

O JOGO

O Vasco começou ligadíssimo no clássico contra o Flamengo. Bastante presente no ataque, o Cruzmaltino criou  a primeira chance aos 5 minutos, quando Nenê cobrou falta na área, o rubro-negro tentou cortar e a bola sobrou nos pés de Andrezinho, que finalizou com muito perigo. 

De tanto insistir, o Gigante da Colina marcou o gol aos 15 minutos. Luis Fabiano dividiu com Réver no ataque, a bola sobrou para o camisa 10 vascaíno, que cruzou na área, e Yago Pikachu se antecipou para mandar a bola para o fundo da rede: 1 a 0. 

Na metade do primeiro tempo, houve queda de luz no Mané Garrincha, que paralisou o partida durante oito minutos. Com a energia reestabelecida, o rubro-negro voltou pressionando no ataque e chegou a assustar o Vasco em algumas oportunidades, mas pararam no setor defensivo vascaíno. 
 

image

Jean e Willian Arão em disputa pela bola durante o clássico – Foto: Divulgação
 
Na segunda etapa, o atacante Luis Fabiano foi expulso aos 8 minutos. Após cometer falta em Márcio Araújo, o árbitro deu cartão vermelho ao jogador por reclamação. Com o Vasco jogando com dez, o Flamengo cresceu e foi só pressão no ataque.
 
Aos 14 minutos, Mancuello cobrou escanteio, e Willian Arão subiu para cabecear e empatar o clássico no Estádio Mané Garrincha: 1 a 1. Na sequência, aos 19 minutos, Berrío, em chute dentro da área, virou o jogo para os rubro-negros: 2 a 1. 
Lutando até o fim, o Gigante da Colina conseguiu arrancar o empate. Aos 47 minutos, o árbitro marcou pênalti para o Vasco. Na cobrança, Nenê bateu com categoria e garantiu o empate para os vascaínos: 2 a 2. 
image
Nenê comemora gol de empate com Rafael Marques – Foto: Nelson Costa/Vasco.com.br
 
FICHA TÉCNICA – FLAMENGO 2X2 VASCO
Competição: 4ª Rodada da Taça Rio 2017
Local: Estádio Mané Garrincha, Brasília
Data: 26 de março de 2017
Horário: 18h30 (Horário de Brasília)
Público presente: 28.071 / Pagantes: 28.071  
Renda: R$ 1.279.720,00
Árbitro: Luis Antonio Silva dos Santos
Assistentes: Daniel do Espírito Santo Parro e Diego Luiz Couto Barcelos
Cartões amarelos: Everton e Willian Arão (Flamengo) / Jean, Jordi, Luis Fabiano, Jomar e Douglas (Vasco)
Cartão vermelho: Luis Fabiano (Vasco)
Gols: Willian Arão (14’/2º Tempo) e Berrío (19’/2º Tempo) – Flamengo / Yago Pikachu (16’/1º Tempo) e Nenê (49’/2º Tempo) – Vasco
Flamengo: Muralha, Pará, Réver (Léo Duarte), Rafael  Vaz e Renê; Márcio Araújo, Willian Arão e Mancuello (Lucas Paquetá); Berrío (Marcelo Cirino), Everton e Leandro Damião. Técnico: Zé Ricardo
VASCO: Jordi; Gilberto, Jomar, Rafael Marques e Henrique; Jean (Thalles), Douglas, Yago Pikachu (Manga Escobar), Nenê e Andrezinho (Escudero); Luis Fabiano. Técnico: Milton Mendes
 
Fonte: Site CRVG

Com grande atuação coletiva, Sub-20 bate o Flamengo na Gávea

Vitória com V maiúsculo! É dessa forma que pode ser definido o triunfo do Vasco da Gama na manhã deste domingo (26/03) no Estádio da Gávea. Com uma grande atuação coletiva, o Gigante se impôs fora de casa e venceu o Flamengo por 1 a 0. O gol do triunfo cruzmaltino foi marcado por Paulo Vitor, aos 10 minutos da etapa final. O resultado fez o Almirante chegar aos 18 pontos e se manter na zona de classificação para a semifinal da Taça Guanabara.

O JOGO

Como era esperado, o Clássico dos Milhões começou bastante equilibrado. Mandante, o Flamengo tomou a iniciativa nos primeiros minutos, mas apenas 14, com Loran, conseguiu levar perigo para a meta defendida por João Pedro. O Vasco, entretanto, respondeu logo na sequência, com Dudu. O camisa 8 roubou a bola de Michael, invadiu a área e chutou forte para grande defesa de Gabriel Batista. A equipe de São Januário cresceu na partida após o tempo técnico, em virtude da marcação pressão realizada na saída de bola rubro-negra.

As chances começaram a aparecer e só não foram transformadas em gol devido ao personagem da etapa inicial: o goleiro Gabriel Batista. O camisa 1 rival começou aparecer aos 24 minutos, quando se esticou todo para evitar o gol de Robinho, que cabeceou no cantinho após cruzamento de Cayo Tenório. Dois minutos depois, aos 26, Mateus Vital recebeu de Dudu, limpou a marcação de Kléber e arriscou para outra excepcional intervenção do capitão adversário. Paulo Vitor, aos 31 e aos 33, também parou em Gabriel Batista.

Aos 37, lance polêmico. Depois de cobrança de falta de Mateus Vital, a bola bateu na barreira e os jogadores cruzmaltinos pediram pênalti. A arbitragem mandou seguir e na sequência o Flamengo colocou João Pedro para trabalhar. O arqueiro cruzmaltino apareceu bem novamente aos 45 minutos, quando Kléber recebeu livre na pequena área e não conseguiu vencê-lo. No começo do segundo tempo, após finalização de longa distância de Jean Lucas, o camisa 1 do Gigante espalmou bonito para evitar o gol.

Melhor na etapa inicial, o Vasco manteve o rendimento nos últimos 45 minutos. Logo ao seis, Paulo Vitor foi lançado em profundidade por Dudu e cruzou na direção do Robinho, que não conseguiu desviar a bola para o fundo das redes. Pouco tempo depois, aos 10, a jogada se repetiu e o Cruzmaltino abriu o placar. Dessa vez, Robinho cruzou e Paulo Vitor chutou forte para o fundo do barbante: VASCO 1 x 0. O Gigante da Colina quase ampliou sua vantagem aos 16, mas Robinho foi travado após tabelar com Paulo Vitor.

O clássico se tornou dramáticos minutos seguintes, principalmente após a parada técnica. Em desvantagem, o Flamengo se lançou ao ataque, mas se deparou com a valentia dos jogadores vascaínos. Aos 29, um belo exemplo da garra do Gigante da Colina. Após confusão na grande área, Alan Cardoso se atirou na frente da bola para evitar o gol de João Pedro, armador rival. A garra demonstrada neste lance persistiu nos derradeiros momentos do confronto e o Cruzmaltino saiu de campo com o triunfo.

Escalação do Vasco: João Pedro, Cayo Tenório (Rafael França), Mayck, Ricardo e Alan Cardoso; Andrey, Bruno Cosendey, Dudu (Vagner) e Mateus Vital (Luiz Henrique); Robinho e Paulo Vitor. Treinador: Marcus Alexandre

Paulo Vitor balançou as redes no início do segundo tempo
Paulo Vitor balançou as redes no início do segundo tempo
Dudu disputa a bola com Lucas Silva, do Flamengo
Dudu disputa a bola com Lucas Silva, do Flamengo
Mateus Vital finaliza para grande defesa de Gabriel Batista
Mateus Vital finaliza para grande defesa de Gabriel Batista

Fonte: Site oficial do Vasco

0
 
No primeiro jogo sob o comando do técnico Milton Mendes, o Vasco voltou a vencer no Campeonato Carioca. Em jogo válido pela terceira rodada da Taça Rio, o Gigante da Colina bateu o Madureira, por 1 a 0, em São Januário. O gol de Yago Pikachu garantiu para a equipe vascaína a primeira colocação no Grupo C, com 5 pontos. Na próxima rodada, o Cruzmaltino enfrentará o Flamengo, no domingo (26/03), às 18h30, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.
 
image

Henrique em ação durante partida contra o Madureira – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O JOGO

Precisando vencer para se manter na briga por uma vaga na semifinal da Taça Rio, a equipe vascaína foi para cima do Madureira. Aos 8 minutos, Nenê iniciou jogada ensaiada tocando para Andrezinho, que encontrou Yago Pikachu livre, mas acabou sendo desarmado no momento da tentativa de finalização.

Se defendendo bem e sem dar espaços ao adversário, o Gigante da Colina chegou novamente aos 16 minutos, quando o camisa 10 tocou boa bola para Luis Fabiano, que dominou e chutou para fora. O gol da equipe cruzmaltina saiu um minuto depois, após Jordi cobrar tiro de meta, e Jorge Fillipe falhar na zaga, deixando a bola nos pés de Yago Pikachu, que com sabedoria, driblou o goleiro Rafael Santos e marcou o primeiro dos vascaínos. 

 

Bastante ativo na partida, Nenê ainda teve mais dois bons lances ofensivos, aos 31 e aos 37 minutos, mas o placar se manteve com vantagem mínima para o time de São Januário na primeira etapa.

image 
Yago Pikachu comemora gol na partida – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
 

O segundo tempo foi de muitas oportunidades para os vascaínos e de manutenção da boa defesa. O Madureira pouco chegou no gol de Jordi, que não teve muito trabalho. Fabuloso apareceu bem, mostrou disposição em lances importantes e por pouco não guardou o seu primeiro gol pelo Vasco.

A melhor oportunidade de Luis Fabiano aconteceu ao 27 minutos. O atacante roubou a bola e correu pela direita, finalizando e obrigando Rafael Santos a fazer uma defesa importante. O Gigante da Colina soube manter padrão de jogo e garantiu uma vitória importante na Taça Rio.

Após o apito final, o técnico Milton Mendes reuniu os jogadores no centro do gramado e todos juntos agradeceram ao apoio dos torcedores durante todo o duelo na Colina Histórica.

image

Fabuloso deu trabalho para a defesa do Madureira – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Confira os melhores momentos da partida

FICHA TÉCNICA – VASCO 1X0 MADUREIRA
Competição: 3ª Rodada da Taça Rio 2017
Local: São Januário, Rio
Data: 22 de março de 2017
Horário: 19h30 (Horário de Brasília)
Público presente: 3.218 / Pagantes: 2.797   
Renda: R$ 66.190,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Gilberto Stina Pereira 
Cartões amarelos: Andrezinho, Douglas e Gilberto (Vasco)  / Souza e Geovane Maranhão (Madureira)
Gol: Yago Pikachu (17’/1º Tempo)
VASCO: Jordi, Gilberto, Jomar, Rafael Marques e Henrique; Jean (Julio dos Santos), Douglas, Andrezinho (Escudero), Yago Pikachu e Nenê; Luis Fabiano (Thalles). Técnico: Milton Mendes
Madureira: Rafael Santos; Rodrigo Raggio (Ruan), Diego Guerra e Jorge Fellipe; Leandro Carvalho, William (Pirão), Rezende, Luciano Naninho e Douglas Lima; Julio Cesar (Geovane Maranhão) e Souza. Técnico: PC Gusmão
 
Fonte: Site CRVG

O dia 20 de março está definitivamente marcado na vida de Milton Mendes, o novo treinador cruzmaltino.

Na mesma data em que foi apresentado oficialmente como o novo comandante da equipe vascaína, Milton Mendes fazia sua estreia como jogador no próprio Vasco, onde se formou na base, jogando ao lado de Romário, Lira e Mazinho, e conquistando títulos, como o Carioca juvenil de 1983 (1º do Vasco nesta categoria) e o Carioca de juniores de 1984.

Mesmo com apenas 19 anos, e apesar do nervosismo, teve boa atuação atuando ao lado de Acácio, Geovani e Donato, inclusive sendo elogiado pelo “Jornal dos Sports”.

A partida contra o Coritiba, futuro campeão brasileiro, era válida pelo 2º turno do Brasileiro daquele ano, e o empate deu a liderança provisória em seu grupo, ao Gigante da Colina.

Vamos relembrar mais este jogo da belíssima História Cruzmaltina !

O Globo (21/03/1985)
Jornal dos Sports (21/03/1985)

“Sem seis titulares, em especial Roberto e Mauricinho, o Vasco, ainda assim, esteve para ganhar do Coritiba, que se esforçou muito para conseguir o empate de 0 a 0, ontem a noite, no Estádio Couto Pereira. O resultado foi bom para os dois times, pois o Coritiba manteve a liderança do Grupo A e o Vasco também manteve a ponta do seu grupo, junto com o Bahia que empatou com o Santa Cruz.

Talvez se Edu tivesse escalado Romário, desde o inicio do jogo, o Vasco poderia ter conseguido a vitória, pois Claudio José perdeu boas oportunidades e não soube como fugir à marcação do adversário. O desfalque de Mauricinho prejudicou muito o time carioca, pois Gilberto preferiu ajudar no combate no meio-campo.

O empate só não agradou por ter sido de 0 a 0, pois os goleiros fizeram boas defesas, principalmente Rafael que em duas oportunidades soltou duas bolas chutadas com violência. Acácio, no final, impediu o gol do Coritiba, com uma defesa sensacional. Uma cabeçada de Índio, por cima do travessão, também assustou o Vasco. Se entra, faria injustiça ao time de Edu, melhor em campo.

Pressionado por tua torcida, que não admitia o empate em casa, o Coritiba tentou de tudo para agredir o Vasco, mas esbarrava no bloqueio muito bem comandado por Luis Carlos no meio-campo. Depois que Romário entrou, dando mais velocidade ao ataque carioca, o Coritiba procurou se fechar um pouco, o que acabou irritando a sua torcida. Para o Vasco, o resultado teve o sabor de vitória por ter sido alcançado no campo do adversário e sem meio time.” (Jornal dos Sports – 21/03/1985)

Jornal do Brasil (21/03/1985)

As atuações dos atletas vascaínos segundo o “Jornal dos Sports”:

Acácio
Nas poucas vezes em que foi solicitado, o fez muitíssimo bem.

Milton Mendes
Uma boa estreia, apesar do nervosismo no início.

Donato
Um dos melhores do time.

Ivan
Andou apelando um pouco. Por isso, levou um cartão amarelo que o tirou do clássico com o América.

Airton
Não foi fácil segurar Lela.

Luis Carlos
O melhor do time, mais uma vez.

Geovani
Um lançamento genial que deixou Romário na cara de Rafael. Boa partida.

Gilberto
Foi mais marcador do que qualquer outra coisa. Aos 35 do final, se contundiu e deu vaga a Mario Tilico, pouco solicitado.

Cláudio José
Deveria ter sido substituído no primeiro tempo.

Romário
Entrou aos 14 minutos do final e aumentou a agressividade do time.

Silvinho
Apenas algumas boas jogadas.

Fonte: História Cruzmaltina

14
 
A direção do Club de Regatas Vasco da Gama comunica a saída do treinador Cristóvão Borges a partir desta sexta-feira (17/03). O Vasco agradece os serviços prestados pelo profissional, que sempre trabalhou com dedicação.
Eurico Miranda 
Presidente
 
Fonte: Site CRVG

Bruno Cosendey em ação contra o Botafogo- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Debaixo de muito sol, a equipe sub-20 do Vasco enfrentou o Botafogo, nesta sexta-feira (17/03), em São Januário. Apesar de dominar a partida, o Cruzmaltino acabou empatando com o Alvinegro em 1 a 1, pela nona rodada da Taça Guanabara. Pedro Bezerra marcou para o Gigante da Colina e Igor Cássio para o clube de General Severiano. Com o resultado, o Almirante se manteve na segunda colocação do Grupo B. 

 
O JOGO
 
Jogando em São Januário, o Vasco buscou ditar o ritmo de jogo. Logo nos primeiros minutos, o Cruzmaltino teve boa oportunidade com Dudu. Após enfiada de bola, o meia, pelo lado direito, invadiu a área e arriscou o chute. O goleiro do Botafogo acabou defendendo. 
 
Com oito minutos, a equipe vascaína saiu em contra-ataque com Paulo Vitor. Dentro da grande área, o jogador cruzou rasteiro, a bola desviou e acabou batendo na trave. Incansável, o Vasco não dava chances para o time adversário. Com quase 20, Robinho chutou de fora da área e a bola sobrou para Pedro Bezerra estufar a rede: VASCO 1 a 0. 

image
Jogadores vascaínos comemoram gol marcado por Pedro Bezerra
O Cruzmaltino ainda teve mais uma oportunidade. Bruno Cosendey recebeu na entrada da área, limpou com categoria os marcadores adversários e chutou  para a defesa do goleiro adversário. No último lance do primeiro tempo, o Alvinegro lançou a bola na área e Igor Cássio acabou levando a melhor sobre o arqueiro vascaíno João Pedro, empatando assim o duelo: Botafogo 1 a 1.
 
A etapa complementar começou mais animada na Colina Histórica, com os times buscando o jogo. O primeiro lance de perigo foi aos 11 minutos. Após bate-rebate na área, Dudu acabou chutando por cima do gol. Quando o cronômetro marcava 20 minutos, Dudu cobrou falta na cabeça de Arthur, mas a bola passou rente a trave. O Gigante seguiu melhor em campo e Bruno Cosendey cabeceou no poste aos 30. 

image
Paulo Vitor disputa a bola com marcador adversário
A melhor oportunidade da etapa final foi criada cinco minutos depois. Aos 35, depois de linda bola enfiada por Paulo Vitor, Robinho entrou na área e ficou cara a cara com o goleiro alvinegro. Para a infelicidade da torcida presente no Caldeirão, entretanto, a finalização do camisa 10 acabou batendo no travessão. Nos derradeiros momentos do clássico, o Vasco buscou o ataque, mas não conseguiu assumir a dianteira do marcador.
 
Escalação do Vasco: João Pedro, Cayo Tenório, Arthur, Ricardo e Luiz Henrique; Rafael França, Bruno Cosendey, Dudu (Moresche), Robinho; Pedro Bezerra (Ruan Batista) e Paulo Vitor. Treinador: Marcus Alexandre.

image
Robinho infernizou a defesa alvinegra na Colina- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
 
Fonte: Site CRVG

CASACA! NO RÁDIO

0
Ouça a íntegra do programa CASACA! no Rádio de 20/03/2017 com participação de Sérgio Frias, Iury Gaspar, Rodrigo Alonso e Bruno Novaes.