Home Authors Posts por Rodrigo Alonso

Rodrigo Alonso

Rodrigo Alonso
700 POSTS 102 comentários

No dia 19 de fevereiro de 1984 o Vasco da Gama alcançou a sua maior goleada na longa trajetória já percorrida pelo time cruzmaltino nos Campeonatos Brasileiros. O adversário massacrado por 9 a 0 foi a paraense Tuna Luso, campeã estadual do ano anterior e clube que, como o Vasco, fora fundado por portugueses e adotou a faixa diagonal e a Cruz de Malta.
 
A partida valeu pela primeira fase da Taça de Ouro e foi disputada em São Januário. No ano anterior, valendo pela mesma competição, o Corinthians Paulista bateu o piauiense Tiradentes por 10 x 1, goleada que permanece até hoje como a maior de todos os tempos nos Brasileirões.
 
Arthurzinho foi o grande destaque do encontro ao fazer quatro gols, sendo o derradeiro aos 48 minutos da etapa final, levando a torcida vascaína ao delírio. Empolgados no intuito de bater o recorde do clube de São Paulo, torcedores e jogadores empurraram o time até o último instante. O zagueiro uruguaio Daniel González (falecido cerca de um ano depois num acidente de carro) queria um placar maior e foi quem mais incentivou o talentoso e aguerrido baixinho “Rei Arthur” a dar seu sangue até o segundo final.
 
Marcelo, companheiro de ataque de Roberto Dinamite (que desfalcou o time nesse dia), assinalou três tentos. Geovani, o “Pequeno Príncipe”, e Airton completaram a artilharia. 
 

Revista Placar (20/02/1984)

“O baixinho, veloz e irresistível Arthurzinho foi o grande herói dos massacrantes 9 x 0 que o Vasco aplicou no esforçado e leal Tuna Luso, domingo, em São Januário. Foi a maior goleada desta Copa Brasil e a primeira derrota do time paraense, que havia tomado apenas dois gols em seus quatro primeiros jogos. Arthurzinho levou a torcida ao delírio ao marcar quatro gols e criar as jogadas que resultaram nos três gols do centroavante Marcelo, o substituto de Roberto Dinamite, que não jogou porque passou a semana com dores lombares.

“Estava devendo esta exibição à torcida”, comentava, emocionado, Arthur dos Santos Lima, 27 anos, 1,62 m, sem parar de beijar e acariciar seu crucifixo de ouro, gestos com que comemorou principalmente seu primeiro gol no jogo e no torneio, ele que veio do Bangu para o Vasco por 400 milhões de cruzeiros depois de ter sido vice-artilheiro do último Campeonato Carioca, com 18 gols. E tinha boas razões para a emoção: “A vitória afastou definitivamente a suspeita de que eu sentia o peso da camisa. Agora, estou de moral alta”.

Marquinho (E), um dos melhores, festeja mas um gol de Arthurzinho. (Jornal do Brasil – 20/02/1984)

QUATRO GOLS COM AS BENÇÃOS DO PADRE MAX

Sua alegria começou logo aos 5 minutos, quando completou com um chute rasteiro e indefensável o cruzamento do ponta-direita Jussiê: “Ali terminava o meu pesadelo. Só pensei em Deus, pois sou um cara que tem muita fé”. O pesadelo era a falta de gols nos primeiros cinco jogos do Vasco e a falta de uma grande exibição ante a torcida, pois ele só havia jogado bem fora do Rio. Na sexta-feira, 48 horas antes do massacre, Arthurzinho procurou o padre Max, da paróquia de Bangu: “Fui me benzer porque estava me faltando sorte. Sabe que joguei com o tornozelo inchado? Pois é, fui para o sacrifício porque pressentia uma grande exibição”.

A exibição foi facilitada pela volta do incansável ponta-esquerda Marquinho, que renovou seu contrato na semana passada e “garantiu melhor marcação no meio-campo, liberando o Arthurzinho para criar e marcar gols”, como explicava depois do jogo o técnico Edu. Aliás, Marquinho, 1,68 m, e Pires, 1,69 m, formaram, com o Rei Arthur, o irresistível trio de baixinhos que levou o Vasco à goleada, com que o time já havia se desacostumado desde os primeiros meses de 1982, quando vencera seguidamente o Moto Clube (7 x 0), o Internacional-SM (7 x 0) e o Operário (7 x 1) e que é a segunda maior de toda a história da Taça de Ouro, perdendo apenas para os 10 x 1 que o Corinthians aplicou no Tiradentes no ano passado.

DANIEL NÃO PAROU DE GRITAR. E PEDIA DEZ

O Vasco jogou bem desde o início e terminou o primeiro tempo vencendo por 4 x 0, com gols de Arthurzinho aos 5 e aos 40, Geovani aos 22, cobrando pênalti, e Aírton aos 29. Mas foi irresistível no segundo tempo, depois que Arthurzinho pôs definitivamente banca de Rei ao marcar seu terceiro gol logo aos 4. Com a disposição de quem não acredita em bola perdida, aproveitou-se de uma indecisão do zagueiro-central Bira, roubou-lhe a bola e achou o resto muito fácil: “Só precisei dar três passos e colocar a bola no cantinho”. A partir desse gol, a torcida entrou em delírio total, exigindo a ampliação da goleada. O Vasco embalou e colocou o time da Tuna Luso na roda, sempre em jogadas de velocidade que partiam dos pés de Arthurzinho, Marquinho e Pires. Assim, saíram os três gols de Marcelo, aos 8, aos 9 e aos 29.

Arturzinho passa por Bira, e na saída de Ocimar, toca a bola por cima, no quinto gol. (Jornal do Brasil – 20/02/1984)
Mas nem o time nem a torcida estavam satisfeitos. O capitão Daniel González continuava gritando. “Eu queria chegar a 10 x 0 e superar os 10 x 1 do Corinthians no ano passado”, justificava o alegre uruguaio depois, com a felicidade de quem participou das duas goleadas. Arthurzinho estava de acordo: “Entendi o que o Daniel queria e por isso, mesmo sentindo o tornozelo, continuei lutando e fechei a goleada”. Foi o gol mais bonito: ele entrou na área com a bola dominada, rolou-a por entre as pernas de Bira e colocou-a suavemente fora do alcance do desolado goleiro Ocimar.

O jogo terminou em seguida e dezenas de torcedores invadiram o campo, carregaram Arthurzinho nos ombros até o alambrado de São Januário, enquanto a torcida gritava em coro: “Ei, ei, ei, Arthurzinho é o nosso Rei”. O novo herói vascaíno estava feliz: “O que importa é que fiz as pazes com a artilharia e ganhei a credibilidade da torcida. A vitória nos deu moral para nos desforrarmos do São Paulo”. (O jogo está marcado para este sábado, no Morumbi.)

Eufórica, a torcida não estava sequer ligando para as palavras do presidente Antônio Soares Calçada, que passou o fim de semana repetindo que admite vender para a Itália o passe do maior ídolo de São Januário, o centroavante Roberto Dinamite, por 1 milhão de dólares. Afinal, esta torcida já está acostumada com a alma de comerciante do seu principal cartola, mas há muito tempo não vivia um domingo tão feliz. Principalmente em São Januário.” (Revista Placar – 20/02/1984)

Jornal do Brasil (20/02/1984)

Jornal do Brasil (20/02/1984)

Jornal do Brasil (20/02/1984)

O Globo (20/02/1984)

O Globo (20/02/1984)

As atuações segundo o jornal “O Globo”:

ACÁCIO — Praticamente não foi exigido. Na única intervenção mais difícil, machucou-se quando saiu da área e se chocou com o ponta Luis Carlos. (Sem Nota). Foi substituído por Roberto Costa, que não teve trabalho. (Sem Nota).

EDEVALDO — Mostrou um vigor físico impressionante no apoio às jogadas de ataque. No entanto, complicou nas saídas de bola, Nota 7.

DANIEL GONZALEZ — Excepcional no combate, apoiou o ataque com categoria, indo à área do Tuna Luso várias vezes. Nota 9.

NENÊ — Mesmo com toda facilidade, confundiu-se em alguns momentos. De qualquer maneira mostrou espirito de luta. Nota 7.

AIRTON — Fez uma grande partida. Seu gol foi inesquecível e apoiou o time de forma incansável. Nota 10.

PIRES — Atravessa uma forma excepcional. Defende e ataca com facilidade, organizando o time. Nota 10.

GEOVANI — Um talento privilegiado, com jogadas de alta categoria. Prendeu a bola duas vezes, durante toda a partida, mas esforçou-se para compensar Isto. Nota 10.

ARTURZINHO — Quatro gols e uma exibição de gala. Nota 10.

JUSSIÊ — É um ponta veloz, que procura sempre a linha de fundo, embora muitas vezes não dê seqüência as jogadas. Nota 7.

MARCELO — Atacante habilidoso, sabe tocar bem a bola. Foi, acima de tudo, oportunista nos três gols que marcou. Nota 9.

MARQUINHO — Deu uma outra feição ao time do Vasco. Incansável no apoio, um dos destaques na ajuda à defesa. Nota 10. Foi substituído no final por Cláudio José, que manteve o ritmo do time. Nota 7.

Os gols da partida:

Ficha do Jogo:
VASCO DA GAMA 9 X 0 TUNA LUSO-PA 
Data: Domingo, 19 de fevereiro de 1984 
Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ) 
Árbitro: Roque José Gallas (RS) 
Público: 12.855 pagantes 
Renda: CR$ 21.007.000,00 
Cartão Vermelho: Ronaldo aos 18′ no 2º tempo. 
Gols: Arthurzinho aos 5′, Geovani aos 22′, Aírton aos 29′ e Arthurzinho aos 40′ no 1º tempo; Arthurzinho aos 4′, Marcelo aos 8′, 9′ e 29′ e Arthurzinho aos 48′ no 2º tempo.
 
VASCO DA GAMA: Acácio (Roberto Costa); Edevaldo, Daniel González, Nenê e Aírton; Pires, Geovani e Arthurzinho; Jussiê, Marcelo e Marquinho (Claúdio José). Técnico: Edu Coimbra.
 
TUNA LUSO-PA: Ocimar; Quaresma, Bira, Paulo Guilherme (Ronaldo), Mario; Samuel, Ondino, Jorginho; Tiago, Miltão e Luis Carlos. Técnico: Ari Grecco.
 
Fonte: Almanaque do Vasco da Gama, Youtube, O Globo e Jornal dos Sports.

5

Cristóvão orienta equipe na beira do gramado – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O Vasco da Gama venceu a Portuguesa, neste sábado (18/02), em São Januário, e garantiu a classificação para a semifinal da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Após a partida, o técnico Cristóvão Borges concedeu entrevista coletiva na sala de Imprensa do clube e aproveitou para comentar as chances que foram criadas e desperdiçadas pela equipe. 
 
– Tudo é trabalho. Perdemos a última partida pois não finalizamos bem. Hoje podíamos até ter ganho por goleada pelas oportunidades que criamos. Isso não pode continuar. Pelo menos  temos que aproveitar um pouco mais. Foi demonstrado que foi bastante prejudicial a gente. A equipe ainda está sendo reconstruída. Vai entrosar e tomar um caminho melhor – disse Cristóvão. 
 
Se o assunto é homem-gol,  o treinador vascaíno não deixou de comentar a chegada do novo atacante: Luís Fabiano. E não faltou elogios ao centroavante. 
 
– É goleador. Sempre foi goleador em todas as equipes. É um jogador que dispensa comentários. Ele vai agregar. É decisivo e com certeza chega para somar . Estamos contentes com a chegada dele – afirmou o treinador vascaíno. 
 
Com a classificação garantida, o Cruzmaltino aguarda o adversário, que será decidido na partida entre Flamengo e Madureira. Ao ser perguntado sobre o possível adversário, Cristóvão disse que clássico é sempre equilibrado. 
 
– Independente da maneira que esteja cada equipe, nesse encontro é um jogo de grande motivação. Uma rivalidade grande. As equipes se equivalem porque ficam muito motivadas – concluiu o técnico.

Texto: Larissa Ramos

Fonte: Site CRVG

0
Thalles aproveita cruzamento de Escudero e garante vitória- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Precisando vencer, o Vasco da Gama enfrentou a Portuguesa, neste sábado (18/02), em São Januário. Sem levar muito perigo ao gol de Martín Silva, o Cruzmaltino triunfou pelo placar de 1 a 0. O gol da partida foi marcado pelo atacante Thalles, no segundo tempo. Com o resultado, o Gigante da Colina avança para a semifinal da Taça Guanabara. O Gigante da Colina enfrentará o vencendor do confronto entre Flamengo e Madureira, neste domingo (19/02)

O JOGO
Atuando dentro de seus domínios, o Vasco tomou a iniciativa nos primeiros 45 minutos de jogo. Sem perigo ao gol de Martín Silva, que completou 150 jogos com a camisa vascaína, o time cruzmaltino mantinha a bola no setor ofensivo. 
 
A primeira grande chance veio aos 13 minutos. Henrique cruzou, Nenê, dentro da grande área, finalizou e o goleiro Luciano espalmou a bola para a fora. Com 21 minutos, Bruno Gallo arriscou o chute de longa distância e o camisa 1 da Portuguesa quase aceitou.
image

Gilberto tenta se livrar do defensor da Portuguesa
 
Quando o cronômetro maracva 23 minutos, o Nenê cobrou escanteio na cabeça de Rodrigo e, novamente, o goleiro fez boa defesa. Antes do juiz apitar o fim da etapa inicial, o time cruzmaltino ainda teve mais uma oportunidade com Bruno Gallo, que arriscou de longe, mas a bola foi pela linha de fundo. 
 
O Vasco voltou para os 45 minutos finais buscando pressionar a Portuguesa. Aos 18 minutos, o Cruzmaltino abriu o placar. Após cruzamento de Escudero pela esquerda, Thalles, de cabeça, marcou. Vasco 1 x 0. 
 
A Portuguesa chegou logo depois. William Amendoim recebeu e chutou cruzado, Martín Silva só olhou e a bola bateu na trave. Aos 31, Thalles teve mais uma oportunidade, mas acabou cabeceando para fora. Sem mais chances de gol, o placar não foi alterado. 
image
Kelvin deu trabalho aos defensores da Lusa Carioca
 
FICHA TÉCNICA – VASCO 1X0 PORTUGUESA

Competição: 5ª Rodada da Taça Guanabara
Local: São Januário, Rio
Data: 18 de fevereiro de 2016
Horário: 16h30 (Horário de Brasília)
Público presente:  / Pagantes:   6.485/5.543
Renda: R$ 137.125,00
Árbitro: Maurício Machado Coelho Jr (RJ)
Assistentes: Gabriel Conti Viana (RJ) e Thiago Gomes Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Jacozinho, Peterson (Portuguesa); Jean (Vasco)
Gol: Thalles (23′ 2ºT)
VASCO: Martín Silva; Gilberto, Luan, Rodrigo e Henrique (Muriqui); Bruno Gallo (Escudero), Jean, Guilherme (Wagner), Nenê e Kelvin; Thalles. Técnico: Cristóvão Borges 
Portuguesa: Luciano; Pessanha, Marcão, Rodrigo e Jacozinho (Maicon); Marcinho Pitbull, Muniz (Peterson), Romarinho, Fabinho e Matías Souza (William Amendoim); Edu. Técnico: Nelson Rodrigues.

image
Nenê teve boas chances durante a partida- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Texto: Larissa Ramos

Fonte: Site CRVG

12

Luís Fabiano é do Vasco!

A espera acabou! Luís Fabiano é do Vasco! O atacante está confirmado oficialmente como o oitavo reforço da equipe para esta temporada. Multicampeão no futebol, o jogador acumula passagem marcante pelo São Paulo e também por Porto e Sevilla, dois grandes clubes da Europa. Pela Seleção Brasileira, Luís Fabiano conquistou a Copa América (2004), a Copa das Confederações (2009) e o Superclássico das Américas (2012). Antes de se transferir para o clube, o atleta estava no Tianjin Quanjian (CHI), onde foi campeão China League One em 2016, sendo artilheiro com 23 gols em 29 jogos e também foi considerado o melhor jogador do campeonato. Seja bem-vindo, Fabuloso!

Fonte: Site oficial CRVG

3

 

Paulo Reis, vice-presidente Jurídico do Vasco, concedeu entrevista coletiva após o treinamento desta tarde, na sala de imprensa de São Januário. O dirigente esclareceu assuntos que foram divulgados pela mídia nos últimos dias. Confira abaixo os temas abordados:

Ato Trabalhista

“Há uma ação proposta por um membro da oposição do clube tentando cancelar o Ato. Esse processo tem andado, e o Vasco já apresentou seus esclarecimentos. Hoje entrou em pauta e ele diz que os clientes dele estariam sendo prejudicados. É uma grande mentira, pois não há prejuízo nenhum a eles. Mesmo assim determinaram a suspensão do Ato do Vasco. É bom dizer que isso não é de imediato. Será publicada ainda uma decisão, e o Vasco tem o direito de apresentar recurso ordinário ao TST pedindo para rever a decisão e também um efeito suspensivo. Com essa concessão, o ato fica mantido até o julgamento final. É lamentável que uma pessoa faça isso com intuito político. Querer inviabilizar a vida do clube. Estamos tentando liquidar o passado. O Vasco fica sem condição de andar”. 

Luís Fabiano

“Eu vou responder um assunto fora da minha área. O Jurídico não faz registro. Ele é inscrito, fica pendentes documentos para ter condições de jogo. Trazendo os documentos, ele é liberado para jogar. Os outros clubes poderíam fazer a mesma coisa”. 

Jean e Gilberto

“O Jurídico não faz registro de jogador. Quando há um problema, o departamento de registro consulta o jurídico. Como não me procuraram, estão confiantes no que foi feito. Não fui consultado sobre isso. Acho que não vamos ter problema nesse assunto. Minha preocupação é com o Ato Trabalhista.”

Texto: Matheus Alves

Fonte: Site CRVG

6
O pedido para que os clássicos cariocas tenham torcida única é absolutamente inaceitável. Esta é uma posição que contraria mais de cem anos de história e representaria a falência do futebol carioca. Os atritos que ocorrem em diferentes regiões da cidade não se resolveriam com a entrada de apenas uma torcida no estádio. Os clássicos do Rio não tem mando de campo. E como seria uma semifinal ou final em jogo único? Haveria sorteio para saber qual torcida iria?

Eurico Miranda
Presidente

4
Com a camisa do Sócio Torcedor Gigante, Manga Escobar é apresentado pelo Vasco – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
 
Mais um estrangeiro abrilhantará o elenco do Vasco. Trata-se de André “Manga” Escobar, apresentado oficialmente pelo clube na tarde desta quinta-feira (16/02), após o treino da tarde. O colombiano, que já vem treinando forte com a equipe, falou sobre a sua chegada ao Gigante da Colina e demonstrou muita felicidade em estar em um dos grandes clubes do Brasil.
 
– Estou muito tranquilo e feliz. É um sonho realizado. Estou  muito satisfeito. Tinha um sonho de jogar no Brasil, ainda mais em uma equipe histórica como o Vasco. Quero dar alegria aos torcedores e tirar o máximo proveito dessa oportunidade – afirma.  
 
Eurico Brandão Miranda, vice-presidente de futebol do clube, apresentou o atleta e diz estar na expectativa por um grande desempenho do atacante no clube.
 
– É um atleta que temos grande perspectiva de desempenho. Foi muito pesquisado pelo nosso setor de análise. Acho que vai surpreender muita gente – ressalta.
 
Amigo do atacante Riacos, que teve uma passagem recente pelo Vasco, Manga Escobar disse que o consultou antes do acerto e esse fato só reforçou o seu desejo de jogar no Brasil.
 
– Eu e Riascos somos da mesma região. Falamos muito. Ele me desejou os melhores êxitos. O Vasco é muito grande. Tenho como característica a velocidade e habilidade e quero muito aproveitar essa chance – disse.
 

Eurico Brandão Miranda fala sobre os últimos assuntos do futebol vascaíno

 
Após a apresentação do atleta, o vice-presidente de futebol respondeu perguntas dos jornalistas relacionadas aos últimos acontecimentos no Vasco.
 

Planejamento de elenco

 
“No início do ano, quando sentamos com o Cristóvão, traçamos um plano com características de jogadores que desejamos. A ideia inicial era de trazer cinco atletas, com possibilidade de aumentar. O Manga se encaixou como um atleta de velocidade pelo lado do campo. Queríamos dois. Um foi o Kelvin. Eles eram os preferidos da lista e, felizmente, conseguimos”.

image

Após apresentação do atacante, Eurico Brandão Miranda conversou com a imprensa – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
 

Luís Fabiano

 
“Luis Fabiano, como todos sabem, interessa ao clube desde dezembro. Vamos seguir a linha de falar oficialmente só quando estiver 100% resolvido. Mas estamos caminhando bem com essa situação. Ele tinha um contrato que previa renovação, e ela não foi feita. O que ele fez é um acordo financeiro por causa de metas que alcançou na última temporada. Tudo pode se resolver daqui a cinco minutos, amanhã… Agora temos liberdade para conversar”.
 

Bruno Paulista

 
“O atleta está apalavrado conosco, mas há uma situação de rescisão de empréstimo com o Bahia a ser resolvida. Acho que vai se resolver, é mais uma coisa de papel do que de vontade dos clubes. Os nossos advogados já aprovaram tudo”.
 

Possibilidade de torcida única no futebol carioca

 
“Qualquer pessoa envolvida no futebol torce para que não haja torcida única. Mata o espetáculo, a rivalidade… Não dá para ter torcida única, pois não tem mandante no Carioca. Vão escolher a torcida? É uma situação complicada. O policiamento vai achar uma maneira”.
 

Gilberto e Jean

 
“O Vasco não pode responder o que alguém colocou, imprensa, outro clube…. Precisamos que os órgãos competentes falem. Posso afirmar que o Vasco não está errado. Se fizerem a denúncia, vamos montar nossa defesa”.
 
Texto: Matheus Alves

Fonte: Site CRVG

15

Cristóvão Borges observa jogo na beira do gramado- Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O Vasco da Gama dependia apenas de si para garantir com uma rodada de antecedência a classificação para a semifinal da Taça Guanabara, mas acabou sendo superado pelo Volta Redonda na noite deste domingo (12/02). Após a partida, realizada no Estádio Raulino de Oliveira, o treinador Cristóvão Borges lamentou o resultado.

– Os números mostram a produção da equipe, que é o grande objetivo do nosso trabalho. Queremos que a equipe produza bem, mas junto com a produção tem que vir o acerto nas conclusões. Hoje foi uma partida em que nós perdemos oportunidades que poderiam nos levar a uma vitória tranquila. Essa derrota dói bastante por conta disso. Merecíamos um resultado melhor – afirmou o comandante.

Diante do Voltaço, o Gigante da Colina entrou em campo com a equipe bastante modificada, formada, em sua maioria, por jogadores que foram contratados no início da temporada. Gilberto e Kelvin, por exemplo, disputaram o primeiro jogo como titular. Muriqui começou jogando novamente, algo que não acontecia desde a Florida Cup. Outra novidade foi Wagner, que fez sua estreia no segundo tempo.

– Esse foi o melhor jogo que a equipe fez. Nós tomamos um gol no começo do jogo, mesmo assim conseguimos ter maturidade para jogar de forma equilibrada e sem se desorganizar. No segundo tempo, mesmo com o tempo passando, seguimos bem. Tivemos poucos erros de passe, os poucos foram por precipitação. Jogamos buscando o gol a partida inteira. Mesmo assim, não sairei daqui satisfeito, pois não ganhamos o jogo. Deveríamos ter vendido a partida em virtude de tudo que produzimos – concluiu Cristóvão.

Vivo na briga pelo titulo da Taça Guanabara, o Vasco volta a atuar no próximo sábado (18), em São Januário, contra a Portuguesa. A preparação cruzmaltina para essa partida se inicia na terça-feira (14). 

Texto: Carlos Gregório Júnior

Fonte: site CRVG

0
Gilberto arrisca chute no primeiro tempo- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Atual campeão da Taça Guanabara, o Gigante da Colina não conseguiu garantir com uma rodada de antecedência sua classificação para a semifinal da atual edição do primeiro turno do Campeonato Carioca. Jogando no Estádio Raulino de Oliveira, no Sul Fluminense, o Cruzmaltino perdeu para o Volta Redonda por 1 a 0. O gol dos donos da casa foi marcado pelo atacante David Batista, logo no começo da partida.

Mais do que vivo na briga pelo título, o Almirante retorna aos gramados no próximo sábado (18), às 16h30, para enfrentar a Portuguesa da Ilha do Governador. Válida pela última rodada da fase de grupos da Taça Guanabara, a partida será disputada no Estádio de São Januário e marcará o reencontro entre os clubes de forte relação com Portugal. O Vasco não enfrenta a Lusa Carioca numa partida do Campeonato Carioca desde a temporada de 2006.

O JOGO

image
Nenê é marcado de perto por defensores do Volta Redonda

Atuando dentro de seus domínios, o Volta Redonda tomou a iniciativa nos primeiros minutos e não demorou muito para abrir o placar. Logo aos dois minutos, Diego Souza cobrou falta e David desviou para o fundo das redes: Volta Redonda 1 x 0. Bem postado em campo, o Voltaço quase ampliou sua vantagem aos nove, quando Diego Souza chutou cruzado e assustou Martín Silva. O Vasco da Gama se lançou ao ataque e desperdiçou duas boas oportunidades. Aos 16, Nenê obrigou Douglas a fazer uma grande defesa através de uma bola parada. Na sequência, após jogada aérea, a bola sobrou para Guilherme e ele finalizou por cima.

O Gigante da Colina cresceu no duelo após a parada técnica e passou a mandar no jogo. Aos 31, Nenê cobrou falta e Luan desviou para fora. No lance seguinte, Guilherme limpou a marcação e mandou uma bomba da entrada da grande área. O camisa 8 só não empatou a partida devido a mais uma grande intervenção de Douglas. Capitão cruzmaltino, Rodrigo foi mais um a levar perigo, dessa vez aos 35. Na ocasião, o camisa 3 cobrou falta de longe e viu a bola tirar tinta da trave. Três minutos depois, Guilherme aplicou um lindo drible em seu marcador e parou novamente no camisa 1 do rival. Douglas apareceu outra vez aos 41 para evitar gol de Gilberto, que no rebote ainda acertou a trave.

image
Guilherme criou boas oportunidades no Raulino de Oliveira

A etapa final começou movimentada, com boas chances para ambos os lados. Quem chegou primeiro foi o Vasco, com Kelvin. O camisa 11 recebeu de Muriqui e finalizou cruzado com bastante perigo. O Voltaço respondeu na sequência e por pouco não ampliou o marcador em duas jogadas. Na primeira, Pipico parou em Martín Silva. Na segunda, após cobrança de escanteio de Diego Souza, Marcelo cabeceou por cima. Apesar de manter a posse de bola, o Cruzmaltino só voltou a assustar aos 23, quando Wagner arriscou da entrada da grande área para defesa de Douglas. O Gigante seguiu atacando, em especial com Nenê e Guilherme, mas não conseguiu impedir o resultado adverso.

FICHA TÉCNICA – VOLTA REDONDA 1 X 0 VASCO DA GAMA

 
Competição: Campeonato Carioca- Taça Guanabara- 4ª rodada
Local: Estádio Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data: 12 de fevereiro de 2017
Horário: 19h30 (Horário de Brasília)
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro (RJ)
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ) e Márcio Moreira de Queiroz (RJ)
Cartões amarelos: Jean e Gilberto (Vasco); Diego Souza e Cristiano (Volta Redonda)
Gol: Diego Souza (02’/1T)
Público: 7.398 (presente) e 6.498 (pagantes)
Renda: R$ 167.370,00
 
VOLTA REDONDA: Douglas, Henrique, Luan, Felipe e Cristiano; João, Luiz Gustavo (Higor Leite), Marcelo e Diego Souza; Pipico (Octávio) e David (Diogo). Técnico: Cairo Lima
 
VASCO DA GAMA: Martín Silva, Gilberto, Luan, Rodrigo e Alan (Escudero); Jean, Bruno Gallo (Wagner), Guilherme Costa e Nenê; Kelvin e Muriqui (Éderson). Técnico: Cristóvão Borges.

image
Kelvin infernizou a defesa do Volta Redonda- Fotos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Texto: Carlos Gregório Júnior

Fonte: Site CRVG

Bruno Cosendey em ação contra o Volta Redonda- Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
 
Na preliminar do duelo entre as equipes profissionais, Vasco da Gama e Volta Redonda se enfrentaram no Estádio Raulino de Oliveira pelo Campeonato Carioca sub-20. Mesmo atuando dentro de seus domínios, o Voltaço se fechou e adotou a estratégia de apostar nos contra-ataques. A tática deu certo e o time da casa venceu o confronto por 3 a 0, acabando assim com a invencibilidade cruzmaltina dentro da Taça Guanabara.

Com o resultado, o Gigante da Colina encerrou a quarta rodada do primeiro turno na terceira colocação e viu a diferença para o líder do Grupo B subir para sete pontos. No próximo fim de semana, os comandados do treinador Marcus Alexandre voltam a campo para encarar a Portuguesa da Ilha do Governador. A partida será disputada no Estádio de São Januário, novamente algumas horas antes do time principal entrar em campo.

Escalação do Vasco: João Pedro, Gabriel Buriche (Dudu), Gabriel Norões, Arthur e Luan; Rafael França (Linnick), Luiz Henrique, Bruno Cosendey e Moresche; Paulo Vitor e Vagner (Breno). Treinador: Marcus Alexandre.

 
Texto: Carlos Gregório Júnior
 
Fonte: Site CRVG

CASACA! NO RÁDIO

0
Ouça a íntegra do programa CASACA! no Rádio de 13/02/2017 com participação de Sérgio Frias, Iury Gaspar e Rodrigo Alonso.