Início Colunas Panorama Político: entre traíras e bazofeiros

Panorama Político: entre traíras e bazofeiros

 

Com uma candidatura sustentada por Olavo Monteiro de Carvalho, José Carlos e Carlos Roberto Osório, aliados de Cabral, os artífices da falência legada pela República das Bananeiras, a de Júlio Brant; com uma candidatura apoiada por ninguém menos do que Nelson Monteiro da Rocha, o operário que duplicou uma dívida de 110 anos em menos de seis como responsável pelas finanças do Vasco, a de Alexandre Campelo; e com uma candidatura que representa, no fim das contas, a essência da política do Vasco em seu viés mais repugnante, a essência da trairagem covarde que se traduz por um discurso desonesto, a de Horta, parece claro que Eurico, com a nítida recuperação baseada em uma tentativa de austeridade ortodoxa e paulatina que estabelece no Vasco, nadará de braçada nas eleições que se realizarão daqui a menos de mês. 

 Como Brant pode falar em modernidade sendo apoiado por sabotadotes históricos que, quando no poder, foram sabotados pela própria incompetência? Como Campello pode se mostrar como descolado do passado se o apresentador de seus PowerPoints é um tricampeão de contas reprovadas, só no Vasco? Como Horta pode falar em olhar para o futuro se apresenta como grupo que o apoia a falecida cruzada vascaína, corresponsável pela segunda fase da República das Bananeiras, que trouxe prejuízos financeiros ao clube ao propor, por exemplo, a supressão da dívida com o ex jogador Romário do Balanço Patrimonial? Como Horta pode falar em olhar para o futuro ao ter como seu mentor para o futebol o ultrapassado Paulo Angioni, atraso reconhecido pelo próprio Eurico depois de 2015?
 
Contudo, todo cuidado é pouco, na medida em que os conspiradores estão à espreita. Os mesmos que plantaram as bombas do jogo com o Flamengo. Os mesmos que mantêm, a partir de lá, incursões junto ao Ministério Publico. Os mesmos que usam de suas influências junto ao Judiciário. Os mesmos que usam de suas influências junto à mídia. Os mesmos que usam de seu poder financeiro não para uma campanha de propostas claras, mas para uma campanha de ataques pessoais e bravatas.
 
Superados os temores causados pela única ferramenta que restou à oposição, a ferramenta que busca judicializar o processo, o Vasco irá às urnas com o nível desprezível daqueles de fora que se propõem a comandá-lo. Muito discurso de modernidade feito por gente ancorada ao conclave de outrora, muita fantasia, muita vigarice na retórica, muito caráter desviado. Há quem ache normal, afinal é política. Mas no caso especial do Vasco, convenhamos: é rasteira pacas. 
 
Sim, falemos também de erros de Eurico nesta gestão. Sem dúvida alguma, o maior foi entregar algum poder a quem não tem a menor condição de o ter a seu dispor. Oferecer um dos poderes do clube a um traidor com carimbo na testa foi um erro. Entregar a própria substituição a um sujeito que era dúvida confirmada a cada dia de gestão foi um erro. Justamente em uma fase na qual, por questões de saúde, precisou de alguém que se apresentasse para o jogo, mas preferiu se esconder atrás da zaga adversária.
 
Felizmente, rumos foram corrigidos. Melhor ainda: Felizmente, houve, e ainda haverá, depuração. O abandono do barco não se trata de perda, muito pelo contrário. Chama-se higienização. O Vasco precisa disso e é muito melhor que aconteça quando máscaras caem. 
 
Se tudo seguir seu curso normal, se o rio correr para o mar, se as conspirações políticas nítidas, que ocorrem desde o jogo com o Flamengo e envolvem mídia, judiciário e polícia não prevalecerem, em poucos dias o Vasco estará em paz para seguir o seu rumo de nítida recomposição. E podem apostar: no próximo triênio o clube será outro. E podem apostar: depois deste triênio, muito mais virá por aí. E podem apostar: a velha política do Vasco e seu modo de operar está com os dias contados. Assim seja. Amém.
 
João Carlos Nóbrega

13 comentários

  1. João, essa coluna escrita por você é para ler várias vezes. meditar e mostrar aos amigos vascaínos.

    O Vasco e o sr. Eurico Miranda têm um campo minado para atravessar, enfrentando jogadas de pessoas que não possuem um mínimo de caráter, respeito ao Vasco e a ninguém ligado a uma disputa sadia e honesta.

    Os artifícios deploráveis serão acionados, não tenhamos dúvidas quanto a isso.

    Vascaínos, estaremos enfrentando é podridão, mas vamos vencer! e de goleada!!!

  2. Vc tem coragem de denunciar a canalhada e os traíra. Por essa e outra que sempre seremos Casaca! Eurico 2018.

  3. Caro Colunista: entendo a pertinência de oferecer sua análise crítica sobre as diversas chapas que concorrerão em Novembro pela disputa aos Poderes (no plural) do CRVG. Entretanto, mais importante ainda será uma coluna dedicada a apontar especifica, minuciosa e concretamente o que será feito na hipótese da chapa endossada pelo Casaca vença as eleições. Há no sítio algumas indicações do que foi feito (Basquete, estruturas, parque aquático, CAPRRES senior e junior etc) – e aqui não se diminui a recuperação patrimonial – , mas, para o grosso dos sócios, (i) ainda não é transparente a evolução das dívidas (estão sendo diminuídas? em quantas gestões se consegue extingui-la etc), (ii) como foi feito o uso do capital advindo da venda de alto valor do jovem Douglas e do Luan este ano, (iii) se as verbas de televisão de 2018 já foram antecipadas (se sim, de quais campeonatos o foram), (iv) qual a proposta para majoração das receitas no triênio da nova eleição (Tv, sócios, patrocínios, maior tempo de valorização das promessas da base para que possamos vender por valores maiores como o fazem Santos, SP e Corinthians, por exemplo) etc. Nenhum adulto pensa que bastará a alteração de mandato para que tudo se resolva magicamente, que os débitos e compromissos sumam. De outro lado, além de manter as restaurações patrimoniais importantes, é preciso esboçar metodologicamente como se poderá edificar uma nova fase próspera como de 97-2001, e evitar fases de relativa estagnação ou desconstrução como (ressalvados episódios pontuais como de 2003, 2011 e dos cariocas mais recentes) de períodos ulteriores. O Vascaíno de vinte anos ou menos não presenciou uma grande esquadra vitoriosa, e apenas o soerguimento efetivo fará com que multipliquemos o crescimento do Clube para ingressarmos num ciclo virtuoso.

    Xxxxxxxx

    Prezado,

    Sem pormenorizar, ofereço resposta aos itens levamtados:
    1) o Vasco pública seu balanço patrimonial anualmente, conforme manda a lei. Além diso, em dezembro de 2016, antecipou números fundamentais de sua gestão em um documento oficial. Eis o link: http://www.vasco.com.br/site/noticia/detalhe/14270/presidente-eurico-miranda-fala-sobre-situacao-financeira-e-garante-mais-investimentos-no-futebol-do-vasco-em-2017
    2) os valores recebidos pelas negociações de Luan e Douglas e sua utilização poderão ser observados ao final do exercício 2017.
    3) as verbas de 2018 provenientes da TV não foram antecipadas na plenitude, mesmo porque há valores devidos pela TV ainda referentes a 2017, em negociação.
    4) o Vasco pretende retomar um ciclo vicioso e virtuoso: ao retornar a competições internacionais, que premiam bem, oferecem novas cotas de TV e atraem patrocinadores de uma economia que parece em recuperação, a tendência é ter uma equipe de futebol mais forte, que se classifica e vence competições, gerando novos patrocínios, cotas e premiações. E a roda gira. Outra prioridade precisa ser movimentar o bom plano de sócio torcedor do clube, que infelizmente a torcida ainda não abraçou. O diagnóstico dos motivos já está em estudo .Mas a impressão que fica é que também o sócio torcedor será movimentado por um melhor desempenho do futebol, locomotiva do referido ciclo vicioso.

    Uma última observação quanto ao uso de jovens valores antes da venda ao mercado internacional. É um dilema permanecer com o jogador e ter obrigatoriamente que fatiá-lo, como fizeram todos os que conseguiram manter jogadores por algum tempo, ou tentar vender bem, enquanto o jogador é majoritariamente do clube. A resposta para este dilema também está na saúde financeira do clube. Infelizmente, o Vasco inspira cuidados delicadíssimos. No dia em que se chegar ao saneamento pleno, certamente as negociações ocorrerão em outro patamar.

    Apenas uma última informação: não há horizonte para se extinguir a dívida do clube na medida em que, ainda hoje, surgem tristes novidades batendo à porta. Um exemplo: o Vasco possui 6 milhões bloqueados na Justiça em função de uma ação movida por um ex diretor jurídico que passou no clube em 13-14. Muito difícil fazer, então, previsões deste porte.

    Sds e minhas desculpas por possíveis erros, uma vez que a digitação foi feita em tela reduzida.

    João Carlos Nóbrega

  4. “…. A velha política do Vasco e seu modo de operar está com os dias contados…” Demorou, antes tarde que nunca.

    Na resposta ao suspeito Pedro… Sobre o jurídico, seria o “de Paula Chaves ??”… Pqp… Mais essa.

    Um forte abraço a ti. E obrigado…

    +++++++++++++

    Alô, Luís

    Marcelo Macedo, que além de remunerado mensalmente, ainda tinha percentual de sucesso. O referido sucesso: a dívida que eles suprimiram do Balanço com Romário, o ex jogador executou, ganhou a causa com 54 milhões e o doutor Macedo cobra sucesso no novo “acordo”, que aumentou de 13 milhões em 2008 para 20 milhões após este acordaço aço aço.

    Piada. O Almirante paga.

    Abraço
    João

  5. Até aí não tem novidade alguma!

    E todo esse grupelho AMARELOS OPOSIONISTAS e por que não dizer TERRORISTAS do MUV que plantaram as bombas no dia 08 de Julho e que coincidencia, justamente na partida contra a mulambada ( O seu Parceiro CARACÚ de do segundo Semestre de 2008 na qual o dito ¨Presidente¨, FROUXO, OMISSO GERUNDISTA de SORRISO de HIENA assistiram o jogo ao lado do Márcio Baroukel Braga, Sandra de Sá e Dudu Nobre figurinhas mulambos carimbados e nos garfaram 3 pontinhos com o APITO-AMIGO e tudo se servindo de CHACOTA! ) , e a CBF ( Casa Beneficiente do fl__ __ ___ ___ ___ o ) STJD e o MP do Rio foram rápidos no gatilho pra nos punirem e enquanto isso pelo Brasil afora os outros clubes fazem o que bem entendem e depois os mesmos jornalistas da Flapress não sabem porque é que a média do público por jogos e tão baixa, com os ingressos CARÍSSIMOS que um trabalhador assalariado nem sempre pode comprar, violencia nos Estádios, truculencias das Polícias Militares e impunidades das Torcidas organizadas!

    Dia 08 de Julho de 2017, um dia que jamais vou me esquecer, fora que em 2001 a Polícia Federal invandiram o São Januário a mando de uma ligação do celular de um dos TRAÍRAS AMARELOS, que SABOTAM, TRABALHAM contra a INSTITUIÇÃO e estão no DNA e nas veias sanguíneas do pessoal das tres siglas e querem retornarem pra destruírem a NOSSA AMADA INSTITUIÇÃO!

    SÓCIOS VASCAÍNOS e os VERDADEIROS VASCAÍNOS: NÃO CAIAM OUTRA VEZ NO CANTO das SEREIAS, e não se deixem de serem enganados e iludidos por esses TRAIDORES!

  6. Li e reli o artigo de João Carlos Nóbrega. Peço permissão, inclussive, para subscrevê-lo. Uma conclusão: não é facil defender o Vasco da Gama só com palavras.

  7. NAO TENHO MEDO DE NENHUMA MERDA DESSES ADVERSARIOS NAS ELEIÇOES SAO TUDO LIXO , O RECEIO E A CORVADIA DE 2008 ISSO E QUE ME PREU CULPA E MUITO !

  8. Eu concordo que Eurico é a melhor opção.

    Júlio Brant parece ser mais omisso que Roberto Dinamite, pois nem no Conselho Deliberativo ele se pronuncia (quando vai).

    Alexandre Campello é mal assessorado com os vascaínos do MUV (assim como Brant).

    E Fernando Horta usa discursos incoerentes com suas práticas, assim como Otto Carvalho, que resolveu apoiá-lo. Ele se mostra contra Eurico por diversas razões, mas passou três anos quieto. Por quê? Ele está embirrado, isso sim.

    Só não entendi um ponto do texto: qual é o atraso de Paulo Angioni? O que ele fez? O time de 2015 foi base para o de 2016 e muitos jogadores de 2015 permanecem para 2017 (titulares e reservas).

    Por que Eurico não afasta Horta de uma vez? Entendo que Otto não pode ser afastado por ter sido eleito na chapa, mas Horta não foi nomeado?

    Casaca!

Responder