Início Nota Patrimônio: reconstruir foi o verbo

Patrimônio: reconstruir foi o verbo

6

 

Quando Eurico Miranda retornou ao Vasco em dezembro de 2014 se deparou com um cenário de guerra. Toneladas de lixo, inclusive orgânico, não recolhidas; água cortada e uma dívida com a CEDAE de 10 milhões de reais, além de dívidas com pipeiros; piscinas vazias e equipamentos destruídos; ginásio em escombros; Pousada do Almirante sucateada; cadeiras da social arrancadas; marquises infiltradas; banheiros quebrados e imundos; um muro externo caído há mais de ano, após a colisão de um caminhão, fechado apenas por tapumes; nas salas de aula do Colégio Vasco da Gama, os aparelhos de ar condicionado foram retirados e levados não se sabe para onde; hotel-concentração liquidado; demais sedes abandonadas.

Reconstruir foi a ordem. Nos primeiros dias, a retirada de lixo e entulho foi realizada por mais de 10 caminhões contratados. Foi celebrado um acordo com a CEDAE e o fornecimento de água foi recomposto. Uma campanha de crowdfunding junto à torcida, revivendo a própria história de erguimento de São Januário, permitiu a reconstrução do ginásio. A Pousada do Almirante também foi reconstruída, voltando a ser habitável para os jovens atletas que moram no clube. O parque aquático foi e continua sob recuperação, o que foi possível pela captação de recursos em função da regularidade fiscal mantida pela gestão de Eurico, após anos de calotes. O muro quebrado foi imediatamente levantado. Marquises voltaram a receber tratamento contínuo, inclusive de impermeabilização. A fachada principal foi totalmente reformada. Vários banheiros foram modernizados e outros estão por ser entregues em breve. O colégio recebeu novos aparelhos de ar condicionado doados por vascaínos. A sede da Lagoa ganhou um espaço novo para a regeneração dos remadores. A sede do Calabouço teve a piscina reaberta, uma vez que nem salva-vidas havia no ocaso da administração passada. 

Além disso, um campo anexo para treinamentos e os espaços de recuperação do CAPPRES são novidades significativas para aqueles que visitam o Complexo Esportivo de São Januário. Há diversos outros equipamentos em processo de reforma e que seguem meticulosa agenda orçamentária. 

As gestões de Eurico à frente do Vasco são marcadas pelo zelo com o patrimônio. Muito mais se fará quanto à conservação das sedes. Muito mais se planeja em termos de melhorias. O Vasco de Eurico reconstrói. Mas também constrói. 

CASACA!

Relacionados

4

13

6 comentários

  1. Perfeito!! Esse é o legado que Eurico quer deixar, contas em dia, clube limpo e organizado, forte em vários esportes (Sim, o Vasco não é só futebol bananas) e sem nunca esquecer a parte social, como o colégio Vasco da Gama. Fico triste e me sinto impotente quando vejo o absurdo que a imprensa tenta (infelizmente tem conseguido) fazer com a figura de Eurico Miranda, na minha opinião algo irreparável. A torcida do Vasco deve gratidão a esse homem que hoje comanda nosso amado clube e espero que continue comandando. Vida longa ao nosso presidente!!

    Com emoção,
    Marcelo Augusto Ramalho Gama

  2. E aí vascaíno de verdade! Pode haver alguma dúvida quanto a superioridade do sr. Eurico Miranda?
    Não votar nele é a mais pura sacanagem com o Vasco e conosco, vascaínos.

  3. Acredito que hoje, mesmo os mais velhos , não podem definir bem o que significa para a INSTITUIÇÃO CR VASCO DA GAMA, presencialmente, tanto quanto eu, a era EURICO MIRANDA. Ao longo dos 70 anos de Vasco, 20 dos quais como atleta, passando pelos “Jogos Infantis e da Primavera”, que coloriam nosso estádio de jovens de colégios e clubes , promoção dos Jornal dos Sports, o maior veículo esportivo do Brasil à época, aos momentos marcantes da política nacional como as comemorações do Dia do Trabalho, quando Getúlio Vargas, da tribuna de honra do maior estádio da América do Sul, dirigia-se ao povo brasileiro, em momentos históricos da maior significação para a contemporaneidade da história republicana brasileira, até os dias de hoje. Claro, há de se fazer um hiato para o período da desadminstração Bob Espoleta, quando era melancólico ir a São Januário. Pois muito bem, em todos esses anos, nenhum dirigente conseguiu valorizar, harmonizar e engrandecer tanto o patrimônio, ampliando as nossas sedes, com um esmero e cuidado nunca vistos ao longo dessas décadas. Agora vêm esses incipientes candidatos com promessas vãs, sem fundamentos reais, como o caso do concorrente, que mais parece pretendente a presidência do grêmio estudantil de escola do primeiro grau, tentando iludir os sócios votantes com as mesmas estórias mentirosas da campanha do Bob Espoleta, da qual participou e foi atuante no desastre do ex-ídolo. Quanto aos outros, é bom que fique claro, dirigir uma INSTITUIÇÃO como o CR VASCO DA GAMA não é o mesmo que tocar cuíca e trair para badalar seu nome na media, graças ao nosso CLUBE com factóides sem a mínima veracidade, tipo corte de luz, etc.
    Então, está claro que igual ao EURICO MIRANDA não houve e não haverá.
    Vamos prosseguir nessa saga de engrandecimento do Vasco com a permanência daquele que mais sabe cuidar do GIGANTE DA COLINA, EURICO MIRANDA, isso sem falar nas maiores glória esportivas por ele conquistadas.

    VIVA O VASCO,
    VIVA O EURICO MIRANDA,
    VOTE NA CHAPA ” RECONSTRUINDO O VASCO “.

  4. 10, nota 10.
    Mas, o Vasco em situação indefinida no Campeonato Brasileiro(pode ir à Libertadores, não acontecer nada ou ser rebaixado) ontem deu folga aos jogadores em função da maratona que terá até o final de outubro com 2 jogos fora(Avaí e Atl GO), 2 no Maraca(Bota e urubu) e 1 em casa(Coritiba).
    Dia que devia ter sido de descanso e recarga de baterias.
    1) Nenê – viajou a Ribeirão Preto para o casamento da notável Marina Ruy Barbosa;
    2) Luiz Fabiano – em fase de recuperação(sem jogar desde 20/08) deu um pulinho a São Paulo para o importantíssimo aniversário do Jadson(jogador do Corintia).
    Saudades daquele Eurico dos anos 2000. Numa dessas espanava tudo, considerando a irresponsabilidade dos veteranos e muito bem pagos jogadores.

Responder